COMO FECHAR PARCERIAS

Diogo O'Band

Faaaala meus caros leitores e leitoras, como vocês estão? Espero que bem.

Você já ouviu aquela frase “quer ir rápido vá sozinho, quer ir longe vá
acompanhado?”
Pois é, eu gosto muito da ideia dessa frase, pois ela fala da importância de estarmos cercados das pessoas certas e que grupos têm em sua união um poder incrível de crescimento mútuo. Pensando nisso, trouxe algumas dicas e pontos importantes de se considerar na hora de fechar parcerias, colaborações etc. Espero que vocês gostem.

1. Quais tipos de parceria são benéficas para você e quais tipos de parceiros você poderia beneficiar? É importante pensar que uma parceria bem sucedida é uma via de mão dupla, ou seja, você não pode pensar somente no que você vai ganhar, mas também no quanto você vai agregar ao(s) seu(s) parceiro(s). Uma boa parceria é aquela que todas as partes saem ganhando. Você deveria considerar fazer uma lista dos potenciais parceiros que podem ser bons para você mas também que você pode agregar algo.

2. Agregar valor é justamente o segundo ponto. A primeira reação do seu potencial parceiro provavelmente será perguntar a si mesmo qual valor você vai agregar à marca, evento, empreendimento dele? É importante você ter em mente que tipo de valor você pode agregar a seu parceiro, o que você pode fazer por ele que ele para que ele também cresça? Pense no que você é bom, nas suas habilidades, pense nos contatos que você já tem que você pode fazer uma ponte entre eles etc. Existem muitas possibilidades de agregar valor a alguém, cabe a você entender quais os benefícios você pode proporcionar à parceria.

3. O terceiro ponto, talvez o mais negligenciado, é definir por quais canais você vai se comunicar com o seu potencial parceiro. Pense bem, de nada adianta uma boa proposta, ter consciência de como você vai agregar valor ao seu potencial parceiro, se a proposta nunca chegar aos ouvidos desta pessoa, não é mesmo? Você pode tentar se comunicar através das redes sociais se for para falar com uma pessoa bastante ativa nas redes, enviar um e-mail formal se for para uma empresa maior, ir ao evento, curtir e encontrar pessoalmente no caso de contratantes, bookers, etc. Mas o que importa mesmo é a forma que você vai apresentar a proposta de parceria para melhor recepção do seu potencial parceiro.

Sugiro um modelo que uso bastante e você pode replicar ou adaptar para o que você faz: Você se apresenta, “Olá, sou fulano de tal, e faço tal coisa… Eu tenho uma proposta já elaborada que pode agregar valor e aumentar a percepção positiva (ou outro valor que você queira agregar) da sua marca e eu gostaria de mostrá-la para você. Qual é a melhor maneira que eu posso apresentá-la? Podemos marcar um café (ou almoço, jantar), ou posso enviar por email?” Você pode usar esse modelo em emails, mensagens diretas no Instagram, Twitter, pessoalmente etc.

Mas para concluir, o que é primordial você saber é que a parceria é uma relação de benefício mútuo, uma relação ganha-ganha. Então não entre em uma parceria só pensando em ganhar valor, mas principalmente em construir uma relação de longo prazo e benéfica para todos, pois quem soma esforços, multiplica resultados.

Um abraço a todos,
até breve,
Diogo O’Band

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Next Post

TOMORROWLAND ANUNCIA NOVO EVENTO VIRTUAL PARA O RÉVEILLON

O festival de música eletrônica Tomorrowland quer dar a seus fãs em todo o mundo uma noite de réveillon inesquecível. A partir das 20h do dia 31 de dezembro, no horário local de todos os 27 fusos horários do mundo, 25 dos melhores artistas da dance music mundial se apresentarão […]