CONHEÇA DJ MARKY, UM DOS BRASILEIROS CONFIRMADOS NO TOMORROWLAND 2018

André Cruz

Iniciou sua carreira usando o nome DJ Marky Mark (trocado posteriormente para evitar confundir com o ator e cantor norte-americano Mark Wahlberg), tocando em casas noturnas da periferia de  São Paulo, onde cresceu.

Foi vencedor de um concurso de DJ promovido pela casa noturna Sound Factory (antiga Show Bizz). Sua fama cresceu no início dos anos 90 quando foi DJ residente das hoje lendárias casas noturnas Sound Factory e Toco Dance Club nos bairros Penha e Vila Matilde respectivamente, zona leste de São Paulo, perto de onde Marky morava. Nessa época, Marky trabalhava na loja de discos “Up Dance Music” em uma galeria no centro da cidade e assim teve acesso a discos que vinham de outros.

 

Um dos seus principais projetos foi o disco “Workin’ the Mix“ apresenta 15 músicas drum’n’bass mixadas por ele, de nomes como E-Z Rollers e DJ Swift. A gravação foi feita em casa, com dois picapes, um mixer e discos de vinil. Tudo pronto mostrou à gravadora Paradoxx Music que abraçou o projeto. Logo depois do lançamento, partiu em uma turnê que incluiu Canadá, Holanda, Irlanda e Inglaterra. No festival Close Up Planet, abriu o show da banda Prodigy, tocando para 20 mil pessoas, em maio de 1999. Tendo conquistado Brasil e Inglaterra, Marky tem sido elogiado pela habilidade de articulação sonora, com mixagens elaboradas que ligam uma música a outra de maneira precisa, e pelo bom gosto das escolhas e combinações de repertório.

Marky foi o idealizador e comandante da festa semanal Vibe, que começou em 1998 no Lov.e Club & Lounge na zona sul de São Paulo. Em setembro de 2005, Marky decidiu terminar a festa devido a divergências com a gerência da casa noturna. Após esse fato, Marky começou uma festa chamada Marky & Friends com uma proposta similar e realizada na casa noturna Emuzik, localizada no mesmo bairro do Lov.e. Nessa festa, que ocorria a cada dois ou três meses, Marky normalmente tocava acompanhado de um DJ internacional conhecido na cena drum’n’bass.

O paulista foi o Dj nacional que mais tocou em edições do maior festival de musica eletrônica do mundo, o Tomorrowland, considerado internacionalmente por ser um dos principais DJs/produtores do pais.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Next Post

“NEW BLOOD”, O TERCEIRO ÁLBUM DO YELLOW CLAW CHEGA EM JUNHO

O álbum “Blood for Mercy” esteve presente na lista dos dez melhores álbuns de 2015, na sua categoria, foi algo que não estava previsto pelo trio até então. Em 2016 a turbulência gerada pela separação do MC Bizzey causou alguns contratempos nos lançamentos. O segundo álbum foi lançado em 2017, […]